António Guterres recebeu luz verde para o cargo de secretário-geral da ONU.

Share Button

1078032

Na votação em que, pela primeira vez, se soube o sentido de voto dos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU (China, Estados Unidos, França, Reino Unido e Rússia), o português António Guterres recebeu luz verde para o cargo de secretário-geral da ONU.

Os embaixadores dos 15 países-membros do Conselho de Segurança da ONU apareceram juntos na votação e o antigo primeiro-ministro português não foi vetado por nenhum dos cinco membros permanentes do Conselho. A candidatura de Guterres recebeu 13 votos a favor, duas abstenções e nenhum veto. A pedido da Rússia, a votação final realiza-se nesta quinta-feira.

O primeiro-ministro, António Costa, reagiu às votações desta tarde congratulando-se pelo resultado obtido por António Guterres. “Como amigo, dá-me uma enorme satisfação”, assumiu Costa, lembrando o orgulho de vir a ter um português no mais alto cargo das Nações Unidas. “Foi um grande trabalho da nossa diplomacia, um grande esforço que todos temos feito, todos os órgãos de soberania, todos os partidos”, concluiu o primeiro-ministro.

A eurodeputada socialista Ana Gomes disse, em declarações à SIC Notícias, que o antigo primeiro-ministro é um homem “com coragem e com capacidade de diálogo com todos, mas também com capacidade de afirmar os seus princípios nas Nações Unidas”.

Esta foi a primeira votação em que António Guterres concorreu com a búlgara Kristalina Georgieva, apoiada pela Alemanha, que obteve oito votos negativos.

Até agora, nas cinco votações realizadas, Guterres tinha conseguido a maioria de dois terços dos votos favoráveis dos membros do Conselho de Segurança, que é constituído por 15 países. Na última votação, realizada a 29 de Setembro, o candidato português obteve 12 votos favoráveis, dois votos desfavoráveis e um voto sem opinião.

Nessa quinta votação, a seguir a Guterres, no segundo posto, ficou Vuk Jeremic, ex-presidente da Assembleia das Nações Unidas e antigo ministro dos Negócios Estrangeiros da Sérvia. O terceiro lugar coube a Miroslav Lajcak, o ministro dos Negócios Estrangeiros da Eslováquia.

Via : Publico

Share Button

Leave a Reply

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.