Ministério Público quer punir ativista que insultou Passos

Share Button

ihuhuiihuAna Nicolau Foto:

Ministério Público pede castigo para Ana Nicolau que gritou “metes nojo”.

O Ministério Público pediu, esta terça-feira, a condenação de Ana Nicolau, uma desempregada, de 40 anos, que em março do ano passado, nas galerias da Assembleia da República (AR), gritou, dirigindo-se ao então primeiro-ministro Passos Coelho, “Metes nojo ao povo” e “Demissão”.

Ana Nicolau encontrava-se na AR com mais de uma dezena de pessoas da associação Precários Inflexíveis numa altura em Passos Coelho ia responder a uma interpelação sobre as suas alegadas dívidas à Segurança Social. Todos manifestaram o seu desagrado com o chefe do Governo, mas apenas Ana Nicolau foi identificada.

“É absurdo ter-se instrumentalizado o caso, tanto mais que já tinham ocorrido situações semelhantes. Pior: as forças de autoridade sinalizaram e identificaram apenas uma entre dezenas de pessoas que se estavam a manifestar. Foi uma tentativa de chantagem para todos aqueles que protestavam contra as dívidas de Passos Coelho à Segurança Social”, afirmou ao JN Adriano Campos, dos Precários Inflexíveis.

Aquele ativista recorda que o protesto apenas visava mostrar “a diferença de tratamento entre aqueles que estão no poder e a perseguição fiscal a que milhares de nós estamos sujeitos”. A associação, que está “completamente solidária” com Ana Nicolau, mostra-se convicta de que será absolvida.

Nas alegações finais do julgamento, que também começou esta terça-feira, o MP pediu uma condenação pela pena mínima o que, atendendo à inexistência de cadastro, levaria a uma pena suspensa.

Ana Nicolau arriscava-se a três anos de prisão, pena prevista no artigo 334 do Código Penal. “Quem, com tumultos, desordens ou vozearias, perturbar ilegitimamente o funcionamento de um órgão constitucional, não sendo seu membro, é punido com pena de prisão até três anos”, lê-se no artigo. A sentença será lida no dia 17 do próximo mês.

Via : JN

Share Button

Leave a Reply

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.