Cibercrime. PJ faz buscas relacionadas com ataques informáticos ao Estado

Share Button

teclado-computador-fotosxc130629ef

“Operação Careto 2” teve início às 7h30 em várias zonas do país, incluindo Lisboa e zona norte.A Polícia Judiciária e o Ministério Público (MP) estão a realizar buscas relacionadas com o cibercrime. As operações tiveram início às 7h30 em várias zonas do país, incluindo Lisboa e zona norte, no âmbito de uma investigação relacionada com ataques aos sistemas informáticos do Estado.

De acordo com a nota enviada à Renascença pela Procuradoria Geral da República (PGR), estão em curso 16 buscas domiciliárias, “em vários locais do país, designadamente na Grande Lisboa”. “Em causa estão crimes de acesso ilegítimo, de dano informático, de sabotagem informática e ainda de associação criminosa”, acrescenta a nota.

Os ataques que estão a ser investigados incluem os mais recentes, verificados a 25 de Abril de 2016.

A Judiciária confirma a “Operação Caretos 2” de combate à criminalidade informática e tecnológica.

“A acção policial consubstancia-se na realização de buscas e na identificação e localização de suspeitos, os quais se encontrarão envolvidos na prática de crimes de sabotagem informática (“DDoS”), de dano informático (“defacing”), de acesso ilegítimo (“hacking”) e de acesso indevido (“exfiltração de dados”), cometidos contra diversos sistemas informáticos do Estado Português e de empresas relevantes do sector privado”, lê-se no comunicado da PJ.

A Sic Notícias fala em 16 arguidos.

Pirataria em 2015

Em Fevereiro de 2015 a PJ deteve oito pessoas, entre os 17 e os 40 anos, por pirataria informática.

Os detidos eram suspeitos da prática dos crimes de sabotagem informática, dano informático, acesso ilegítimo e acesso indevido a diversos sistemas informáticos do Estado e também de empresas do sector privado.

As detenções ocorreram após a Directoria de Lisboa da PJ, em articulação com o Gabinete do Cibercrime da Procuradoria-Geral da República (PGR), desenvolver em vários pontos do território nacional uma vasta operação de combate à criminalidade informática e tecnológica, designadamente à actividade ilícita conhecida como “hacktivismo”.

Fonte policial revelou, na altura, à Lusa que uma das buscas incidiu sobre o Tugaleaks, que se apresenta como um órgão de comunicação social inspirado no Wikileaks.

Os detidos residiam nas áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto e pertenciam ao Anonymous Portugal e a outros grupos associados.

Segundo a PJ, a investigação iniciou-se em Abril de 2014.

Fonte :rr

Share Button

10 Comments

  1. Incredible points. Sound arguments. Keep up the good spirit.

  2. Wow, great blog article. Will read on…

  3. Thank you for your blog article. Keep writing.

  4. Really informative blog.Really looking forward to read more. Great.

  5. I think this is a real great blog post.Thanks Again. Great.

  6. Thanks a lot for the post.Much thanks again.

  7. I am so grateful for your blog post.Much thanks again. Great.

  8. Thank you ever so for you blog.Really thank you! Want more.

  9. I loved your article.Much thanks again. Keep writing.

  10. N24DWQ It as not that I want to replicate your web page, but I really like the layout. Could you tell me which theme are you using? Or was it especially designed?

Leave a Reply

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.