Cientistas anunciam novo continente: a Zelândia

Share Button

azul claro é visível a massa continental escondida abaixo do nível do mar |  NORA-NATIONAL CENTERS FOR ENVIRONMENTAL INFORMATION

Nova Zelândia, Nova Caledónia e vários grupos de pequenas ilhas fazem parte de uma massa continental com 4,9 milhões de km2, revela a Geological Society of America

“Zelândia: O Continente Escondido da Terra”. É sob este título apelativo que começa a defesa, por uma equipa de investigadores das Universidades de Wellington (Nova Zelândia) e de Sidney (Austrália), bem como do Serviço Geológico da Nova Caledónia, de um significativo ajuste à massa continental do planeta, tal como a conhecíamos até hoje. O estudo foi publicado no boletim da Geological Society of America.

É verdade que 94% deste ‘novo’ continente de 4,9 milhões de quilómetros quadrados, no Sudoeste do Oceano Pacífico, está escondido abaixo do nível do mar. Em tempos, afirmam os cientistas, integrou o supercontinente Gondwana, formado há cerca de 200 milhões de anos, durante o período Jurássico Superior, no qual se integravam os atuais territórios da Antártida, América do Sul, África, Madagáscar, Índia, Seicheles, Austrália, Nova Guiné e, claro, Nova Zelândia e Nova Caledónia. Por sua vez, Gondwana resulta da divisão de Pangeia que, segundo a teoria da deriva continental, existiu num período compreendido entre 540 e 200 milhões de anos atrás, dando origem a todos os atuais continentes.

Mas porque deve ser a “Zelândia” considerada um continente, se uma parte tão significativa da sua massa está submersa? Porque, excluindo a visibilidade, tem todas as características que permitem atribuir-lhe esse estatuto.

via :  dn

Share Button

Leave a Reply

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.